Brasil é o país com maior incidência de raios no mundo

August 05, 2020

De acordo com um sistema de satélites que monitora os raios no planeta, o país ocupa a primeira posição de incidência por ter grande parte do território em zona tropical. Por ano, são 70 milhões de raios no Brasil. São Paulo é a cidade do mundo com o maior número de mortes provocadas por raios, com mais de 30 registros nos últimos 20 anos.

Compartilhando um enorme sucesso / Meire Biudes Martinho

August 05, 2020

Entre os dias 21 a 24 de julho foi realizado o Seminário Gerenciamento do Risco Elétrico – Brasil Nordeste, mais uma vez totalmente pela internet. Graças à interação entre organizadores, palestrantes, empresas e, principalmente, audiência, foi um enorme sucesso.

1.      Apoio fundamental do Crea RJ.

Falar de espírito para profissionais acostumados a números é muito desafiador. Mas a Abracopel é movida por desafios e turbinada pelo espírito de missão a cumprir de seus colaboradores. Se no começo dessa pandemia achávamos que esse seria um ano perdido, agora estamos extremamente satisfeitos com o resultado de nossos encontros virtuais.

O mais importante para a missão da Abracopel é transmitir conhecimento. Para nós, vale mais divulgar informações de qualidade para poucos, mas bons profissionais, do que fazer um “oba oba” para centenas de colegas que não tem a segurança das instalações elétricas como prioridade. Mas, como os palestrantes dos nossos eventos realmente conhecem muito sobre seus temas, cada vez mais pessoas reservam um tempo para assistir apresentações que, palavra de Meire Biudes, qualificam quem as assiste, equivalendo a um bom treinamento de curta duração.

Edson Martinho, Lincoln Costa e Maurício Sant’Ana. Vale a pena ouvir o que a Abracopel têm a dizer.

Mas mesmo sem as despesas de um evento presencial, um seminário como esse, com duração de 4 dias, tem inúmeros custos que foram pagos com a ajuda de nossos patrocinadores. Para a Abracopel, patrocínio não é obrigação e sim opção, compromisso e consciência social. O nosso agradecimento para os nossos apoiadores é imenso e esperamos ter retribuído de alguma forma para eles, levando a mensagem de suas empresas para um público formado por profissionais que valorizam produtos de qualidade.

Eu já ouvi muitas vezes a expressão “uma verdadeira seleção”, quando se fala de grandes equipes. A seleção da Abracopel conta com craques como Aloizio Monteiro, João Cunha, Hilton Moreno, Maurício Sant’Ana, César Vianna e Vinicius Ayrão, para citar apenas os mais velhos por uma questão de respeito, e o Vinícius porque senão ele reclama! Mas brincadeiras à parte, este time de primeira merece nossa admiração, pois trabalha muito para acumular tanto conhecimento, e foram e são sempre muito generosos por compartilhar algo de extremo valor.

Energia solar fotovoltaica ultrapassa 6 GW no Brasil /

August 05, 2020

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o Brasil acaba de ultrapassar a marca de 6 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica em usinas de grande porte e pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos. No total, a fonte já trouxe mais de R$ 31 bilhões em novos investimentos privados no País, tendo gerado cerca de 180 mil empregos acumulados.

No segmento de geração centralizada, o Brasil possui 2,9 gigawatts (GW) de potência instalada em usinas solares fotovoltaicas, o equivalente a 1,7% da matriz elétrica do País. Os investimentos totais previstos até 2025 referentes aos projetos já contratados em leilões de energia ultrapassam R$ 25,8 bilhões. Em 2019, a fonte foi a mais competitiva entre as fontes renováveis nos dois Leilões de Energia Nova, A-4 e A-6, com preços-médios abaixo dos US$ 21,00/MWh.

CARROS E TECNOLOGIA / Novo eletrólito de baterias pode impulsionar carros de longo alcance Além de veículos, aviões elétricos também se beneficiam da tecnologia

August 05, 2020

Ao mesmo tempo que o lítio aumenta de 30% a 50% o alcance da bateria de um veículo elétrico, também reduz sua vida útil devido a dendritos de lítio, pequenos defeitos em forma de árvore que se formam nos ânodos de lítio após muitos ciclos de carga e descarga. Caso entrem em contato com o cátodo, esses dendritos causam um curto-circuito nas células da bateria.

Por décadas, imaginou-se que os eletrólitos sólidos, como os feitos de cerâmica, funcionariam melhor para impedir o contato entre células e dendritos. No entanto, essa abordagem não impediu a formação dos dendritos, como pequenas rachaduras em um vidro que eventualmente se espalharam.

Agora, cientistas do Departamento de Energia do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, em conjunto com a Universidade Carnegie Mellon, relataram na revista Nature Materials uma nova classe de eletrólitos sólidos e macios, feitos de polímeros e cerâmica, que suprimem dendritos em estágio inicial de nucleação, antes que eles se propaguem e ataquem a bateria.

NEGÓCIOS E EMPRESAS / INVESTIMENTOS / Enel Green Power obtém isenções fiscais de R$ 124 milhões no PI MME aprovou oito usinas somando R$ 1,6 bilhão em investimentos e 396 MW de capacidade instalada

August 05, 2020

O Ministério de Minas e Energia enquadrou as centrais eólicas Ventos de São Roque 1, 2, 4, 8, 11, 16, 17 e 18, totalizando 396 MW de capacidade instalada entre 72 aerogeradores no município de Dom Inocêncio (PI), junto ao Regime Especial de Incentivos ao Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi). Com a aprovação, a Enel Green Power, detentora das usinas, obtém uma economia de aproximadamente R$ 123,8 milhões com os encargos PIS/PASEP e Confins, ficando o aporte total em R$ 1,6 bilhão para as obras que iniciam em maio do ano que vem e vão até novembro de 2022, de acordo com a previsão inicial da empresa.

NEGÓCIOS E EMPRESAS / EMPRESAS / Eletrobras privatizada pode dobrar investimento anual até 2035 Plano Estratégico 2020-2035 prevê que investimentos devem ficar em R$ 6 bilhões ao ano e com privatização, sobem para R$12,6 bilhões

December 03, 2019

O Conselho de Administração da Eletrobras aprovou em reunião realizada na última sexta-feira, 31 de julho, o seu Plano Estratégico 2020-2035. De acordo com a empresa, o plano define uma nova identidade empresarial e estabelece diretrizes e objetivos voltados ao crescimento e modernização da Eletrobras, de modo que estejam em concordância com as novas tendências do setor.

Caso a empresa seja privatizada, a previsão é que os investimentos em geração e transmissão cheguem a R$ 201,9 bilhões no período, sendo R$ 12,6 bilhões ao ano. Sem a privatização, os investimentos devem ficar em R$ 95,3 bilhões até 2035, com R$ 6 bilhões anuais. Sem a retomada das obras da usina de Angra 3, os investimentos até 2024 fiquem em R$ 3,7 bilhões.

O plano estratégico lembra do baque nas contas que a MP 579/2012 trouxe para os cofres da empresa, que a levou para um prejuízo de R$ 31 bilhões entre 2012 e 2015 e uma perda de valor de mercado de 65%. Esse cenário levou a execução entre os anos de 2016 a 2019 de fortes ajustes para que ela retomasse o equilíbrio, baseado no aumento da eficiência operacional e redução de endividamento. Por outro lado, houve  redução na capacidade de investimento e a distribuição de dividendos.

A pandemia de Covid-19 também foi abordada no plano. Para a estatal, há riscos como a redução da demanda de amplitude incerta. Por isso, vai permanecer a sobre oferta e o adiamento de novos leilões, além de atrasos nos investimentos atuais. A pandemia deve trazer ainda o adiamento da discussão e sobre o projeto de lei de modernização do setor e do processo de capitalização da Eletrobras.

Segundo a empresa, a descarbonização, a diversificação das fontes, a geração distribuída e a digitalização vão demandar ajustes no atual modelo setorial. Para o futuro, a Eletrobras prevê a necessidade de ter robustez para avançar tanto em cenários de forte crescimento e competição quanto em um de competição moderada e com baixo crescimento. Esses cenários apostam em modernização ampla do marco regulatório, expansão da demanda, gestão descentralizada dos riscos e diversificação da matriz, com aumento das renováveis e uso do gás do pré-sal na geração.

A Eletrobras hoje tem 51,1 GW de capacidade instalada, cerca de 30% do total e outros 71,1 mil quilômetros de linhas de transmissão, que é 45% de participação. Em 2019, os investimentos devem ficar em R$ 3,3 bilhões.

GERAÇÃO / SOLAR / Crescimento do mercado solar desacelera no primeiro semestre de 2020 Segundo estudo, setor cresceu 92% em relação ao registrado no mesmo período do ano anterior; porém apresentou redução de 12% quando comparado ao semestre imediatamente anterior

August 03, 2020

O volume de módulos fotovoltaicos destinados ao mercado brasileiro no primeiro semestre totalizou 2,49 GW, sendo 92% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior. Porém apresenta uma redução de 12% quando comparado ao semestre imediatamente anterior, refletindo uma parte dos efeitos da Covid no mercado brasileiro. Isso é o que aponta o mais novo estudo divulgado pela consultoria Greener.

Apesar da desaceleração no volume de vendas observado como consequência imediata da pandemia, no primeiro semestre de 2020 foram conectados, segundo a Greener, o montante superior a 900 MW de sistemas fotovoltaicos, o que representa 30,6% do total conectado ao longo de todos os anos em geração distribuída.

Assim como em grande parte dos setores, a pandemia do Covid-19 trouxe reflexos ao mercado de geração distribuída, reduzindo a demanda por sistemas fotovoltaicos – este efeito foi sentido com maior intensidade nas empresas integradoras que iniciaram suas atividades mais recentemente, explicou a consultoria em nota à imprensa.

Em 2019 houve a entrada de 4,3 GW de módulos fotovoltaicos no país e, somente nesse primeiro semestre de 2020, foram importados 2,5 GW.

Vale ainda ressaltar os efeitos das flutuações abruptas do câmbio, que afetam o setor a medida grande parte dos equipamentos utilizados são importados, impactando o custo dos sistemas. Entretanto, o estudo da Greener apontou que os custos foram marginalmente repassados ao cliente final, em muitos casos os preços ficaram estáveis. Ao que tudo indica, as cadeias de distribuição e de integração estão absorvendo os custos, ajustando suas margens para se manterem competitivos.

GERAÇÃO / HIDRELÉTRICA / Volume volta a subir no Nordeste e chega a 81,6% Demais regiões registraram queda na capacidade, com SE/CO e Sul operando abaixo de 48% e 58%, respectivamente

August 04, 2020

Após uma semana de sucessivas reduções, o submercado Nordeste apresentou ligeiro crescimento de 0,1% na última segunda-feira, 3 de agosto, em relação ao dia anterior, trabalhando com 81,6% de sua capacidade, informa o boletim diário do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A energia afluente armazenável segue em 75% e a armazenada marca 42.102 MW mês. A hidrelétrica de Sobradinho produz energia com 79,18% de seu volume.

Já os demais reservatórios seguem em queda em seus níveis. O SE/CO funciona a 47,9% após variar 0,2%. A energia contida está em 97.035 MW mês e a afluente foi para 77% da MLT. A UHE Furnas registra 56,74% e enquanto a usina de Serra da Mesa admite 37,03%. No Norte do país o volume também caiu em 0,2%, indo para 81,3%. A energia armazenada mostra 12.093 MW e armazenável se encontra em 91% da MLT. A usina de Tucuruí trabalha a 94,4%.

Na região Sul a capacidade de armazenamento diminuiu 0,4% e os reservatórios operam com 57,9%. A energia afluente ficou em 51% da MLT e a armazenada admite 11.523 MW. As UHEs Passo Fundo e G.B Munhoz funcionam, respectivamente, com 73,82% e 43,42%.

Outras informações sobre níveis de armazenamento, bem como a geração de gráficos comparativos, podem ser acessadas na Seção Reservatórios do Monitor, disponível para assinantes do CanalEnergia.

Aneel libera operação de 21 MW eólicos na Bahia Decisão contempla cinco aerogeradores da usina Ventos de São Januário 22

August 03, 2020

A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou na sexta-feira, 31 de julho, o início da operação comercial de cinco aerogeradores da central Ventos de São Januário 22, somando 21 MW de capacidade instalada em Campo Formoso (BA) e a ser explorado pela empresa Ventos De Santo Eloy Energias Renováveis.

Copel e Light reabrem lojas na próxima segunda Distribuidoras vão retomar atendimento presencial com critérios de segurança nos dois estados

July 31, 2020

A partir do próximo  dia 3 de agosto, a Copel (PR) vai retomar atividades que foram suspensas em decorrência da pandemia do novo coronavírus. A medida atende ao previsto pela Agência Nacional de Energia Elétrica. Entre os serviços que serão retomados estão o atendimento presencial ao público e a possibilidade de suspensão do fornecimento por falta de pagamento, exceto para os consumidores beneficiados pela tarifa social Baixa Renda, usuários de equipamentos essenciais à vida e os abrangidos pela lei 20.187/2020, sancionada pelo governador Ratinho Junior.

De acordo com Acyr Bonat Júnior, superintendente comercial da Copel Distribuição, o retorno do atendimento presencial na Copel será realizado com todos os cuidados possíveis, de forma a proteger a saúde de clientes e funcionários. Segundo ele, neste momento, para evitar aglomeração e riscos desnecessários, é importante que a pessoa se desloque até a agência apenas quando sua solicitação não tiver sido solucionada nos canais virtuais.

A Copel adquiriu equipamentos de proteção individual para os atendentes, disponibilizou álcool em gel na entrada das agências e nos postos de atendimento e instalou divisórias de acrílico nas mesas dos atendentes. As áreas comuns foram sinalizadas e as áreas de espera foram suprimidas, adotando-se procedimentos de controle de fluxo de clientes dentro das instalações da empresa. Não será permitida a entrada de pessoas menores de 16 anos, maiores de 60 anos ou de acompanhantes. Para evitar aglomeração, só será permitido o ingresso de clientes em número equivalente ao de atendentes.

O uso de máscara é obrigatório para o ingresso e durante todo o período  de permanência no local. Durante o atendimento, é preciso observar a distância mínima de 1,5 metro entre cliente e atendente. Serviços como emissão de segunda via de fatura, histórico de consumo, atualização de telefone e e-mail, pedido de religação, registro de leitura, alteração de vencimento, pedido de desligamento e pedido de parcelamento deverão ser realizados diretamente nos totens de atendimento localizados nas agências.

Light

A concessionária que atende a cidade do Rio de Janeiro e parte da Baixada Fluminense também vai começar a reabrir algumas agências comerciais, seguindo todos os protocolos de segurança para proteção de clientes e de colaboradores, e com atendimento agendado. Voltarão a funcionar as unidades Centro, Campo Grande e Jacarepaguá. Também serão reabertas as agências dos demais municípios atendidos pela Light. As outras agências da cidade do Rio voltarão a atender gradativamente, de acordo com a evolução do cenário de pandemia na cidade.

Os clientes que precisarem de atendimento em uma das agências devem agendar previamente o serviço, pelo WhatsApp da Light. Eles também deverão utilizar máscara e haverá limitação de ocupação na parte interna das agências. Mesmo com a reabertura parcial das agências, a Light orienta que os clientes busquem os canais  virtuais, onde podem solicitar todos os serviços oferecidos pela empresa. Para Tatiana Celani, gerente de Serviços ao Cliente da Light, isto facilita o dia a dia de todos, garantindo a segurança dos consumidores e prezando pela saúde e bem-estar em tempos de pandemia.

A Light vai adotar as seguintes medidas necessárias para o atendimento presencial ao público: abertura e fechamento das agências uma hora mais cedo; marcações visuais indicando o distanciamento seguro; medição de temperatura dos clientes; reforço na limpeza das agências; disponibilização de álcool gel em todas as agências; uso de equipamento de proteção por parte de seus atendentes, como máscaras e viseiras e marcações nas calçadas para manter o distanciamento entre clientes, em caso de filas.

CEB D renegocia R$13 mi de clientes inadimplentes Parcelamento de débitos com desconto poderá ser feito até 31 de agosto

August 04, 2020

A CEB Distribuição renegociou em pouco mais de um mês R$ 13 milhões em débitos de consumidores com dificuldades em manter suas contas em dia, em decorrência da crise do coronavírus. O valor foi renegociado entre os dias 22 de junho e 27 de julho, em uma nova edição do Programa de Recuperação de Créditos da empresa que tem como alvo principal os clientes da classe comercial. O parcelamento com condições especiais poderá ser feito até 31 de agosto.

Os débitos podem ser pagos em seis vezes iguais, sem juros, com entrada de 20% e abatimento de 100% dos juros e multa por inadimplência. Caso o cliente opte por dividir em 12 vezes sem juros, a entrada aumentará para 40% e os juros e multa por inadimplência terão abatimento de 50%. Outra possibilidade é o parcelamento de 13 a 36 vezes, com juros de 0,80% ao mês e entrada de 20%.

O presidente da CEB, Edison Garcia, explicou que o programa tem como objetivo facilitar a negociação para os clientes que querem pagar, mas  enfrentam dificuldades financeiras provocadas pela crise. “O momento é sensível devido à pandemia que estamos enfrentando”, disse Garcia. O executivo lembrou que se a inadimplência atingir patamares insustentáveis, a empresa não terá como honrar os compromissos com os geradores que fornecem a energia.

Para renegociar os débitos, os clientes devem acessar a Agência Digital da CEB  e preencher todos os dados solicitados. Após análise, a resposta será enviada para o e-mail cadastrado em até três dias úteis, não havendo necessidade do cliente ligar para a CEB. A empresa já havia executado uma primeira versão do programa Recupera no segundo semestre do ano passado.

Projeto de lei cria mecanismos para viabilizar waste-to-energy PL 513/20 é de autoria dos deputados federais Arnaldo Jardim (Cidadania-SP) e Geninho Zuliani (DEM-SP)

August 04, 2020

WAGNER FREIRE, DA AGÊNCIA CANALENERGIA, DE SÃO PAULO (SP)

O projeto Lei nº 513/2020, de autoria dos deputados federais Arnaldo Jardim (Cidadania-SP) e Geninho Zuliani (DEM-SP), visa aprimorar a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que no próximo dia 2 de agosto completa 10 anos. Um dos aprimoramentos é conferir incentivos econômicos para desenvolver a recuperação energética de resíduos no Brasil.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren), Yuri Tisi, a incineração de resíduos para geração de energia elétrica é uma das práticas mais modernas, seguras e utilizadas no mundo na gestão de resíduos. Conhecida como Waste-to-Energy, essa tecnologia é classificada como quarta opção dentro da hierarquia de tratamento de resíduos, que começa com a redução do lixo, reciclagem dos materiais e tratamento biológico.

No entanto, para que essa tecnologia se torne uma realidade no Brasil será preciso criar um arcabouço regulatório crie um ambiente para investimentos. O caminho em estudo envolve a criação de uma tarifa do lixo, incentivos para que os municípios constituam consórcio para aproveitar a economia de escala e contratos de longo prazo juridicamente sólidos que protejam os investimentos das mudanças de gestão pública. “A nossa política precisa de algumas modificações para que isso se torne factível”, reforçou Tisi durante seminário virtual realizado na última sexta-feira, 11 de julho.

Conhecer um pouco mais sobre a necessidade da analise de risco em projeto de PDA ( Fonte Universo Lambda )

July 29, 2020

O gerenciamento de risco é uma etapa fundamental no projeto de uma PDA. Neste artigo o engenheiro Sergio Santos comenta 5 aspectos que podem ajudar quem trabalha com estes projetos.

Cemig investirá R$ 3,6 milhões na instalação de religadores Melhorias beneficiarão 52 cidades do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, em Minas Gerais

July 08, 2020

A Cemig (MG) anunciou que investirá R$ 3,6 milhões para automatizar a rede elétrica em 52 cidades do Triângulo Mineiro e Alto Paraíba, instalando 167 religadores e outros equipamentos. As melhorias devem ser concluídas em até 3 meses.

Os religadores funcionam como grandes chaves que ao se depararem com algum defeito realizam ciclos de aberturas e fechamentos até a normalidade da corrente. Outro caso refere-se ao defeito permanente, desse modo, os religadores automáticos ficam ativados para proteção do circuito elétrico, até a normalização do sistema e religação manual.

Os religadores trazem um grande benefício para a continuidade do fornecimento de energia, pois recompõem o sistema elétrico automaticamente, no menor tempo possível, em caso de interrupção. Assim, quando uma árvore cai sobre a rede elétrica, por exemplo, e interrompe o fornecimento de energia, o sistema já identifica o ponto onde houve a interrupção, isola a área danificada e normaliza imediatamente o fornecimento de energia para os clientes impactados, informa Cladston da Silva Santana, gerente de Expansão e Manutenção Preventiva da Cemig.

Visto que a maioria dos problemas de alimentação é passageira e pode ser provocada por ventanias, raios ou materiais externos, os religadores automáticos atuam, na maioria das vezes, de forma temporária até a resolução da situação que gerou a inconformidade.

Consumo de energia em junho reforça tendência de retomada da economia Brasil apresentou retração média de 4,7% entre os dias 1º e 26

July 07, 2020

O consumo de energia no Brasil apresentou retração média de 4,7% entre os dias primeiro e 26 de junho, na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados, apresentados nesta semana pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), reforçam a tendência de retomada gradativa da demanda, com a flexibilização das medidas de isolamento social em algumas das principais cidades do país.

Em junho, o mercado regulado teve queda de 4,6%, enquanto o mercado livre recuou 5%. A redução é um pouco menor no ambiente regulado por causa do aumento do consumo da classe residencial, explicou a CCEE.

Para efeitos de comparação, em maio, houve redução de 10,9% no consumo de energia do país, sendo uma queda de 11,4% no Ambiente de Contratação Regulado (ACR) e de 9,7% no Ambiente de Contratação Livre (ACL). Em abril, a retração chegou a 12,1% no total, com diminuição de 11,5% no mercado regulado e de 13,6% no livre.

Os dados são preliminares e levam em conta o consumo total do mercado cativo, em que o consumidor compra energia diretamente das distribuidoras, e do livre, que permite a escolha do fornecedor e a negociação de condições contratuais. Além disso, o estudo não considera os dados de Roraima, único estado não interligado ao sistema elétrico nacional.

Ao analisar o desempenho do mês de junho por ramo de atividade, verifica-se que o consumo de energia continua menor do que o mesmo período do ano passado, mas os percentuais indicam uma desaceleração da trajetória de queda. Já expurgados os efeitos de migrações para o mercado livre, a indústria automotiva se manteve como o segmento com maior queda desde o início do isolamento social. A média foi 49% menor do que a do mesmo período em 2019. Já os setores de serviços e a indústria têxtil apresentaram queda de, respectivamente, 36% e 42%.

Enel GO moderniza subestações para melhoria no fornecimento Nos últimos anos, distribuidora já investiu R$ 32,5 milhões no entorno do DF

July 06, 2020

Em 2020, a Enel Distribuição Goiás reforçou suas equipes de trabalho e intensificou investimentos em obras de infraestrutura. Somente na região do Entorno do Distrito Federal, a Enel investiu mais de R$ 32,5 milhões nos últimos anos e está trabalhando na ampliação e modernização de oito subestações, que garantirão melhorias no fornecimento de energia para mais de 225 mil clientes dos municípios de Águas Lindas de Goiás, Valparaíso de Goiás, Luziânia, Planaltina de Goiás, Cristalina, São João da Aliança, Barro Alto e Corumbá de Goiás.

Entre as obras já concluídas, podemos destacar a ampliação da SE Pacaembu, em Valparaíso, onde estão sendo investidos mais de R$ 7,5 milhões em melhorias que beneficiarão aproximadamente 80 mil clientes. Além dessa obra, também já foram concluídas no mês de junho a ampliação e melhoria das SEs Águas Lindas, Barro Alto, Planaltina de Goiás e São João da Aliança, juntas elas garantem o fornecimento de energia para mais de 120 mil clientes da região do Entorno, com investimento total de mais de R$ 13 milhões.

O diretor-presidente da Enel Goiás, José Luis Salas, explica que obras grandes e complexas como essas, tem como objetivo atender à crescente demanda por energia da região e garantir a confiabilidade do sistema. Segundo ele, também estão sendo realizadas melhorias na Linha de Distribuição de Alta Tensão Brasília Sul – Marajoara, em Valparaíso, para garantir que menos clientes sejam impactados em casos de falha em toda a região. A obra está em fase de execução e será entregue ainda neste ano.

As ampliações e modernizações de subestações em todo o estado incluem substituições de equipamentos antigos por aparelhos novos e modernos, aumento de potência instalada e implantação de equipamentos telecomandados, como disjuntores e religadores automáticos. Salas conta que a Enel GO está trazendo para Goiás a melhor tecnologia disponível no mercado mundial e que as modernizações dos sistemas tornam as subestações muito mais confiáveis, diminuindo o risco de falhas, curtos-circuitos e até incêndios”, adiciona. Ainda segundo Salas, com os equipamentos telecomandados, toda a operação das subestações pode ser controlada à distância, direto do Centro de Operações, na sede em Goiânia. Com isso, os técnicos da companhia conseguem realizar manobras, transferir cargas ou recuperar o serviço de forma remota, trazendo mais agilidade ao tempo de resposta em casos de falhas.

Para o diretor-presidente, a conclusão de grandes obras estruturais trará evoluções ainda maiores para os indicadores de qualidade da companhia, medidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica. Segundo Salas, os indicadores da Enel Goiás já apresentam os melhores números dos últimos 20 anos e isso é fruto de um conjunto de ações, que vão desde às manutenções de rotina nas redes de baixa e média tensão, até as obras de grande porte em subestações e linhas de alta tensão.

CPFL direciona R$ 8 milhões em incentivos para troca de motores elétricos Ação acontece em parceria com a Weg e visa a promoção de equipamentos mais eficientes nas indústrias de SP e do RS

July 03, 2020

Empresas de São Paulo e do Rio Grande do Sul que realizarem a troca de motores antigos por tecnologias mais eficientes poderão ter um bônus de até 40% na aquisição do novo modelo. Esse é o mote de uma ação desenvolvida pela CPFL Energia em parceria com a fabricante Weg, no qual a companhia de energia destinará R$ 8,1 milhões, dos quais R$ 6,4 milhões diretamente aos descontos oferecidos para a substituição dos equipamentos nas concessões das distribuidoras CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE.

Os recursos do “Bônus Motor” irão beneficiar os clientes que fizerem a aquisição dos aparelhos através do projeto, tendo que comprovar a instalação das novas máquinas e disponibilizar as antigas para o descarte correto. Segundo a concessionária, o projeto de eficiência energética acontece com foco industrial e objetiva promover o uso racional da energia e a redução nas despesas dos consumidores com a conta de luz.

“As vantagens são muito claras, principalmente neste momento desafiador de pandemia: economia nos gastos com energia elétrica, aumento da produtividade, maior sustentabilidade, obtenção de novas garantias de fábrica e redução dos custos de manutenção. O retorno do investimento é muito rápido, ainda mais com o bônus garantido pela CPFL Energia”, explica o gerente de Eficiência Energética da empresa, Felipe Henrique Zaia.

O processo será conduzido por meio do Sistema Bônus Motor (SBM), onde também será possível realizar a cotação com diversos parceiros e representantes da multinacional catarinense. Após o envio das comprovações de todo o processo, a CPFL pagará diretamente à fabricante o valor relativo ao desconto. As inscrições e mais informações sobre o regulamento podem ser acessadas pelo site do programa.

EPE prorroga trabalho remoto até o fim do ano Decisão da diretoria executiva leva em consideração bom desempenho do home office desde março e redução de custos e riscos

July 02, 2020

Os colaboradores da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) tiveram o regime de trabalho remoto prorrogado até 31 de dezembro desse ano, em decorrência da evolução dos casos de Covid-19 no país e no Rio de Janeiro, onde está o escritório-sede da empresa. A decisão, informada na última quarta-feira (01), foi tomada em reunião de Diretoria Executiva no final de junho, após avaliação de custos, riscos e benefícios de um retorno em curto prazo.

A EPE iniciou migração para o home office no dia 16 de março, alcançando a totalidade de seu quadro sem interrupções das atividades. A Diretoria Executiva avaliou que o bom desempenho observado no regime remoto desde março reduz a necessidade de assumir custos adicionais neste momento, com investimentos e medidas rigorosas de proteção, sendo assim possível aguardar momento mais oportuno para o retorno às atividades presenciais.

Ademais, a entidade disse que a indicação de não retornar antes de 31 de dezembro permite realizar um melhor planejamento das atividades, sobretudo a alocação dos recursos humanos e orçamentários, frisando que a definição da data de retorno dependerá das condições de saúde, exigências sanitárias e evolução da situação da pandemia.

Consumo de energia recua 11% em maio com queda histórica na indústria Levantamento da EPE mostra variação de 54% e 43,7% nos ramos das atividades, maiores quedas desde a compilação dos dados em 2004. Demanda comercial cai 25%

July 01, 2020

Com medidas mais restritivas adotadas em diversos estados da federação para combater a pandemia, o consumo de energia elétrica em maio atingiu 36.051 GWh no Brasil, recuo de 11% em relação ao mesmo período do ano passado, informa o levantamento mensal da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). No acumulado em 12 meses o resultado é 474.037 GWh, variação negativa de 1,1%.

Segundo a análise, os segmentos comerciais e industriais apresentaram quedas de 25,1% e 13,7% respectivamente, números também superiores ao mês anterior. Por sua vez a indústria registrou o pior maio de toda a série histórica, monitorada pela EPE desde 2004, com as maiores baixas vindo do ramo automotivo  e têxtil, 54,1% e 43,7% respectivamente, reflexo do impacto da forte diminuição das vendas nos respectivos setores.

Todas as regiões do país apresentaram retração no consumo de eletricidade durante o mês, com destaque para as quedas de 13,7% no Sudeste, 11,2% no Nordeste e 10,2% no Sul. A diminuição de 3,9% no Centro-Oeste e 1,1% no Norte comprovam os efeitos covid, visto que as regiões ainda apresentavam crescimento na demanda em abril.

Tarifas da Enel SP terão aumento médio de 4,23% Aneel calcula que o impacto médio seria de 12,22% sem o empréstimo da Conta Covid

June 30, 2020

Consumidores de 24 municípios atendidos pela Enel São Paulo, incluída a capital, terão aumento tarifário médio de 4,23% a partir de 4 de julho. O efeito médio do reajuste anual da distribuidora será de 6% para os clientes em alta tensão e de 3,58% para os baixa tensão.

O índice reflete a reversão antecipada às tarifas dos efeitos do repasse de recursos da Conta Covid para a distribuidora. Sem o empréstimo, os consumidores da Enel SP perceberiam um aumento médio na conta mensal de 12,22%, sendo 13,74% em média para os consumidores em alta tensão e 11,67% para os de baixa tensão.

O reajuste foi 56% menor no Grupo A e 69% menor no Grupo B, disse a diretora Elisa Bastos Silva, que relatou o processo. “Esse resultado é importante nesse momento tão crítico para a população, que vem sofrendo os efeitos do isolamento social e da retração da atividade econômica.”

Elisa destacou que mesmo com a operação de crédito ainda não concretizada, o consumidor começa a perceber um alívio na conta de energia. Isso foi possível pela inclusão de um dispositivo na regulamentação da Conta Covid que permite à distribuidora abater antecipadamente do reajuste os recursos que vai receber.

Consumo de energia acumula queda de 5,8% em 2020 Crise do Covid-19 fez o desaparecer cerca de 7.500 MW médios, energia suficiente para abastecer os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo por 30 dias

June 29, 2020

O consumo nacional de energia elétrica acumula uma retração de 5,8% em 2020, considerando o período de 1º de janeiro até 19 de junho – comparado com  2019. Os dados foram divulgados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) nesta segunda-feira, 29 de junho.

Segundo Rui Altieri, presidente do Conselho de Administração da CCEE, a crise do Covid-19 fez desaparecer cerca de 7.500 MW médios, energia suficiente para abastecer os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo por 30 dias.

A carga contratada de 2020 é 47,7 GW médios. A sobrecontração média da “distribuidora Brasil” está estimada em 115,8%, contra 106% em 2019. Com exceção da região Norte, as demais regiões apresentaram retração de consumo de pelo menos 10% durante o período de isolamento (21/03 a 19/6).

STF forma maioria e estados podem decidir sobre corte de energia na pandemia Seis ministros negaram pedido de liminar da Abradee sobre lei criada por assembleia do Paraná. Para relator, momento é de compreensão maior

June 26, 2020

O Supremo Tribunal Federal formou maioria para indeferir pedido de liminar feito pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica contra lei aprovada pela Assembleia Legislativa do Paraná que proibia a suspensão de fornecimento de energia durante a pandemia de Covid-19. A decisão do relator da Ação Direta de Inconstitucionalidade 6406, ministro Marco Aurélio Mello, foi seguida por mais cinco ministros – Edson Fachin, Cármen Lucia, Ricardo Lewandowski, Alexandre de Moraes e Celso de Mello. O ministro Gilmar Mendes votou contra. O julgamento ainda não acabou e outros ministros que ainda não votaram podem pedir vista.

A lei paranaense impedia o corte do serviço a famílias com renda per capita mensal de até meio salário mínimo ou três salários mínimos totais; a idosos, a pessoas diagnosticadas com Covid-19 ou doenças graves ou infectocontagiosas; a pessoas com deficiência; trabalhadores informais; comerciantes enquadrados pela Lei Federal como Micro e Pequenas Empresas ou Microempreendedor Individual. A lei prevê ainda parcelamento de débitos após a pandemia.

Cemig SIM inicia implantação de usinas solares para empresas O modelo pode representar economia de até 95% com tarifas de energia elétrica

June 26, 2020

A Cemig SIM, empresa de energia solar por assinatura e soluções em energia, começou a oferecer um novo serviço no mercado destinado principalmente a consumidores atendidos em média tensão. Trata-se da "minigeração" e "microgeração", modelos que permitem ao cliente ter sua própria central geradora a partir de fontes renováveis em suas dependências, conectada à rede da distribuidora responsável, permitindo a compensação do excedente. A companhia oferece a consultoria para implantação do projeto, desde a elaboração, passando pelo fornecimento dos módulos fotovoltaicos, até a conexão com a distribuidora. De acordo com João Paulo Campos, diretor comercial da Cemig SIM, as empresas têm buscado com mais intensidade a redução nos custos de energia, pois isso se reflete como diferencial competitivo. “A solução de geração de energia por meio de uma usina própria é uma grande oportunidade de ampliar a eficiência das empresas”, afirma.

Amazon anuncia cinco grandes projetos solares na China, Austrália e EUA Os empreendimentos adicionarão 615 MW à capacidade de energia renovável da empresa e vão produzir anualmente 1,2 milhão de MWh para os centros de atendimento e remessas e para os data centers da Amazon Web Services.

June 25, 2020

A Amazon anunciou no final de maio cinco novos projetos de energia solar fotovoltaica na China, Austrália e EUA, como mais uma etapa para o cumprir o compromisso de obter 80% de sua energia de fontes renováveis até 2024 e 100% até 2030 (potencialmente em 2025), além de atingir zero carbono líquido até 2040.

Os projetos anunciados são uma planta de 100 MW em Shandong, a primeira de energia renovável da Amazon na China, que deverá gerar 128 mil MWh por ano; uma usina em 105 MW em Nova Gales do Sul, o segundo de energia renovável da empresa na Austrália, com produção estimada em 250 mil MWh por ano; e três novos projetos nos EUA: dois em Ohio, um de 200 MW e outro  de 80 MW, e uma nova planta de 130 MW na Virgínia (a décima-segunda renovável da empresa naquele estado), os quais deverão gerar anualmente cerca de 800 mil MWh.

Lei proíbe corte de serviços essenciais em feriados e finais de semana; Iniciativa do senador Weverton (PDT-MA) teve parecer favorável do deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE).

June 16, 2020

A partir de hoje, os consumidores deverão ser previamente notificados da data de desligamento de serviços públicos essenciais, como água e luz. A nova lei, sancionada nesta terça-feira, também define ... 
Leia mais em: https://veja.abril.com.br/blog/radar/lei-proibe-corte-de-servicos-essenciais-em-feriados-e-finais-de-semana/

CO - Minuta da ata da 66ª AGE

June 24, 2020

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE informa que está disponível na biblioteca virtual a minuta da ata da 66ª Assembleia Geral Extraordinária - AGE da CCEE, aprovada pelo presidente da mesa, Dyogenes Rosi, e pelo secretário executivo, Leandro Issao Tsunechiro. 

 

Na ausência de manifestações contrárias nos próximos cinco dias úteis, ou seja, até as 00h de 1º de julho de 2020, a ata será encaminhada para registro.

 

Para esclarecer eventuais dúvidas ou solicitar mais informações, entre em contato com a Central de Atendimento: 0800-10-00-08 / 0800-72-15-445 ou atendimento@ccee.org.br.

Bahia lidera ranking de capacidade instalada de fazendas solares

June 18, 2020

A Bahia lidera o ranking dos estados com maior capacidade instalada de usinas solares fotovoltaicas em operação comercial no país, com 776,86 MW. Os dados, referentes a abril, são do InfoMercado Dados Gerais, divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE.

Na lista dos cinco estados que mais concentram capacidade de geração de energia por meio da luz do sol, estão ainda Piauí, Minas Gerais, São Paulo e Ceará, conforme a tabela abaixo.

Consumo cai mais de 11% e inadimplência sobe 17% em Santa Catarina Números de maio apresentados pela Celesc afetam saúde financeira das empresas e causam preocupação ao setor

June 22, 2020

Durante o mês de maio, o cenário de propagação do coronavírus continuou a refletir em impactos no setor elétrico catarinense, que viu o consumo de energia no mercado cativo cair 11,3% ao mesmo tempo em que registrou uma elevação de 17% na inadimplência, a partir de números consolidados pela Celesc e comparados com o mesmo período do ano passado.

Segundo o levantamento, o percentual de consumo foi novamente puxado pela classe industrial, com queda de 18,6%, seguida pelo comércio, que recuou 17,3% no mês. Já as residenciais tiveram aumento de 3,4% na demanda, volume no entanto inferior aos 14% verificados em abril desse ano, quando as medidas de isolamento social estavam mais restritivas, o que mostra que as pessoas estão saindo mais de casa.

UHE Jirau anuncia leilão para compra de energia eólica e solar Período de entrega é de 2023 a 2037 para quatro produtos nos submercados SE/CO e Nordeste

June 17, 2020

A Energia Sustentável do Brasil, controladora da hidrelétrica de Jirau (RO-3750 MW), anunciou que irá realizar um leilão no dia 21 de julho para compra de energia elétrica oriunda das fontes incentivadas eólicas e solar, com período de entrega para janeiro de 2023 a dezembro de 2037. Serão negociados quatro produtos separados pelas fontes e por submercado de entrega – Sudeste/Centro-Oeste ou Nordeste.

O certame acontecerá por meio da plataforma digital da Paradigma. O prazo de envio de Termo de Adesão e dos demais documentos requeridos vai até 7 de julho, às 14h. Para mais informações, acesse esse link.

Governo pode criar por decreto estrutura de governança tecnológica para o setor energético Projetos de inovação precisam estar alinhados aos interesses do mercado como um todo

June 24, 2020

O Ministério de Minas e Energia (MME) deseja aprimorar a governança dos recursos de pesquisa, inovação e eficiência no setor energético criando uma estrutura de governança específica. Iniciados no final de 2019, os trabalhos foram desacelerados devido ao redirecionamento de esforços do MME para conter a crise do coronavírus. O debate surge em meio ao fantasma de um eventual contingenciamento de recursos dos fundos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e do Programa de Eficiência Energética (PEE), ambos da Aneel.

Segundo Agnes da Costa, chefe da Assessoria Especial em Assuntos Regulatórios da Secretaria-Executiva do MME, essa nova estrutura de governança que está sendo desenhada seria criada por decreto presidencial. O objetivo final é permitir ao MME ter uma visão geral das pesquisas em andamento e com base nessas informações promover políticas públicas que incentivem a inovação no setor energético brasileiro, incluindo mineração.

Soluções estruturais para impactos tarifários estão no forno

June 24, 2020

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica, André Pepitone, anunciou nesta terça-feira (23) que há discussões avançadas com o Ministério de Minas e Energia para a adoção de medidas estruturais que amenizem impactos dos processos tarifários das distribuidoras. Uma solução que atingirá todo o universo das empresas de distribuição deve ser anunciada em breve, disse o diretor, que foi uma das vozes da diretoria contrárias ao uso de recursos da Conta Covid para postergar os efeitos de revisões tarifárias em 2020.

A proposta representaria valor adicional da ordem de R$ 900 milhões no empréstimo bancário que vai injetar recursos no segmento de distribuição, mas foi rejeitada pela Aneel, ao aprovar hoje a regulamentação da conta. Ela envolveria o repasse de receita a partir da aprovação dos processos de revisão das companhias do Amapá, Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima, além da Energisa Tocantins e do DMED, de Poços de Caldas (MG), para postergar os aumentos de tarifa.

June 24, 2020

 

O empréstimo virá de um conjunto de bancos, coordenados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A maior parte desses recursos vai servir para cobrir um buraco financeiro no setor elétrico causado pela queda no consumo de energia e aumento da inadimplência durante a pandemia do novo coronavírus.

Eventos Abracopel no Recife em parceria com a Abrapeel

January 01, 2020

Recife é casa da Abracopel. Vamos para a capital pernambucana há mais de 10 anos e nunca nos decepcionamos. Este ano não tivemos a tradicional parceria com a Celpe, mas pensem se fez diferença… De jeito nenhum: o Senai de Areias abriu as portas do seu auditório e deu o de sempre: auditório lotado nos dois dias. Importante salientar a qualidade do público presente: técnicos e engenheiros de diferentes empresas e entidades marcaram presença nos eventos de Recife.

As empresas apoiadoras da Abracopel também marcaram presença e puderam ter uma grande integração com o público: fechando negócios e ampliando seu networking.

Agradecemos muito o apoio da Abracopel Regional Pernambuco na pessoa de seu presidente Antiógenes Cordeiro que não mediu esforços em divulgar os eventos entre os profissionais, entidades e empresas e também ao vice-presidente da regional-PE, Luiz Alves que esteve presente nos dois dias, incansável, sempre atento a todos os detalhes. Luiz, sua boa vontade nos emociona sempre! Obrigado!

Importante lembrar que o Roadshow, evento que acontece no 1.o dia é apoiado pela ABRAPEEL.

E daqui a pouco estaremos em Caxias do Sul, na serra gaúcha. É a primeira vez que iremos para lá e temos grande expectativa de levar muita informação de qualidade para os profissionais gaúchos. Até lá!

I COBRAPEEL: UM EVENTO DIVISOR PARA OS ELETRICISTAS

January 01, 2020

A ABRAPEEL realizou nos dias 28 e 29 de setembro seu primeiro grande evento: o COBRAPEEL – Congresso Nacional Abrapeel de Capacitação Profissional, que pretende ser o pontapé inicial para futuros eventos que reúnam os profissionais eletricistas e eletrônicos em torno de sua associação. O Congresso trouxe, durante dois dias, nas dependências do Auditório Paulo Kobayashi, na ALESP – Assembleia Legislativa de São Paulo, grandes nomes do setor elétrico, energético e de energias renováveis. Especialistas em seus temas e influenciadores digitais do setor estiveram presentes e puderam oferecer ao público presente informações preciosas e um alto nível de conhecimento. Ganhou quem foi, perdeu quem deixou de prestigiar.

Precisamos agradecer à ALESP, na pessoa do Deputado Estadual Cauê Magris por disponibilizar o auditório e a infraestrutura da casa para a realização do evento. Agradecer muito também aos palestrantes que doaram seu tempo, sem cobrar absolutamente nada, para trazer sua presença e seu conhecimento e dividi-los com todos. Um deles, o Eng. Vinicius Ayrão, saiu do Rio de Janeiro, no sábado de madrugada, para abrir o 2º dia de evento e com muito boa vontade dividiu seus conhecimentos durante todo o dia. O Eng. João Cunha veio de São José dos Campos, de ônibus, para prestigiar o evento e ministrar duas palestras. Enfim, Anderson Campos, Everton Moraes, Roberto Valer, Eric Frade, Jailton Soares e Edson Martinho, todos os palestrantes merecem nosso agradecimento e reconhecimento. É assim que vamos tornar a entidade grande: em torno de uma causa justa que é a regulamentação da profissão do eletricista. Venha fazer parte da ABRAPEEL, seja um profissional consciente, ASSOCIE-SE e nos ajude a crescer! CLIQUE ABAIXO E VEJA A GALERIA DE IMAGENS DO EVENTO

Diretoria da Abrapeel se reúne com Presidente da ALESP

August 07, 2019

Membros da diretoria da Abrapeel estiveram reunidos com o Deputado Cauê Macris, presidente da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP). A reunião teve o objetivo de apresentar as entidades ali presentes: Abrapeel, Abracopel e Eletricistas do Bem. O presidente da Abrapeel, José Luiz Camargo dos Santos, apresentou a Abrapeel e mostrou suas diretrizes, objetivos e necessidades. Camargo, que também é o idealizador dos Eletricistas do Bem, uma entidade que reúne profissionais voluntários que ajudam pessoas e entidades carentes na reforma de suas instalações elétricas, mostrou aos presentes a importância de ajudar, principalmente entidades na adequação de instalações elétricas em estado precário, causa principal dos acidentes de origem elétrica. O Deputado se interessou muito e abriu as portas da ALESP para a realização do ! Congresso Abrapeel de Capacitação Profissional que acontecerá no final de setembro no Auditório Paulo Kobayashi na ALESP. Também presente na reunião, o Eng. Edson Martinho, diretor da Abracopel, apresentou a entidade e entregou ao Deputado o Anuário Estatístico de Acidente de Origem Elétrica, apresentando dados alarmantes de acidentes no Brasil. O Deputado Macris incentivou às entidades buscarem a documentação para se tornarem entidades de utilidade pública e assim, conseguir recursos do estado.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou o Projeto de Lei 8110/14, do deputado Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC), que torna obrigatória a adoção de medidas para impedir morte por choque elétrico em todas as instalações de baixa tensão.

Uma emenda da Comissão de Desenvolvimento Urbano tirou a especificação do projeto original que previa o uso de equipamento contra choques elétricos (dispositivo de proteção a corrente diferencial-residual ou DR) para evitar uma descarga maior que poderia levar à morte. Atualmente, essa obrigatoriedade está prevista na Norma 5410 da Agência Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

ABB, líder e pioneira em tecnologias de produtos para eletrificação, robótica, automação industrial e redes elétricas, está com inscrições abertas para treinamentos da divisão de Produtos para Eletrificação, área de negócio que compreende tecnologias para melhorar a confiabilidade e eficiência das instalações elétricas, sistemas fotovoltaicos e outras soluções. Veja os detalhes:

Copel inicia obra de linha de transmissão entre São Paulo e Paraná

October 08, 2016

Com investimento de R$ 150 milhões, previsão para entrada em operação é setembro de 2017
Da Agência CanalEnergia , Operação e Manutenção

A Copel iniciou o lançamento de cabos das torres da nova linha de transmissão que está em construção entre Assis, em São Paulo, e Londrina, no Paraná. A obra é determinante para reforçar a integração do sistema elétrico entre as regiões Sul e Sudeste do Brasil e vai beneficiar a população da região Norte do Paraná quando entrar em operação, em setembro de 2017.

Perdas de energia causam prejuízo à economia brasileira, conclui Nordeste Business Summit

October 28, 2016

O problema das perdas de energia entre sistemas de distribuição e transmissão é um dos grandes gargalos do Brasil, representando 18,5%. Problema que impacta não só em desperdício, mas também onera o consumidor. Este assunto foi abordado por Marcelo Machado, presidente da Landis+Gry do Brasil, empresa que atua na área de gestão e medição inteligente de energia com atuação em 30 países, com mais de 300 milhões de medidores inteligentes.

Distribuidores de energia defendem mudanças profundas para retomada do crescimento

November 09, 2016

Interessadas em serem participantes ativas do processo de retomada do crescimento econômico, as concessionárias brasileiras de distribuição de energia defendem uma mudança profunda no setor, voltada para recuperar a capacidade de investimento e de um ambiente de negócios com segurança jurídica. Com a mudança na agenda econômica, focada atualmente em cortar os gastos excessivos da máquina estatal e resgatar espaço para os investidores, as distribuidoras esperam do atual governo federal sinais claros para a tomar decisões que possam impactar na recuperação do crescimento no país.

Bandeira verde deve retornar em breve, prevê ministro de Minas e Energia

November 10, 2016

O ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, afirmou que a bandeira verde pode voltar em breve, com o início do período de chuvas, voltando o valor da tarifa de energia elétrica ao normal. Segundo ele, no entanto, para o Nordeste, o volume de chuvas pode não ser o ideal para elevar os níveis dos reservatórios. “Não parece que vai ser um grande inverno. Vai ajudar a recompor os reservatórios, mas deve ocorrer oscilações nos próximos meses”, ponderou Coelho, durante o XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica (SENDI), em Curitiba.

CPFL e Bosch fazem acordo para expansão da frota elétrica no Brasil

December 12, 2016

A CPFL Energia e a Bosch firmaram acordo para ampliar a parceria entre as companhias visando incentivar o uso dos veículos elétricos no Brasil. A multinacional alemã incorporou a versão elétrica do Renault Kangoo a sua frota de veículos operacionais, que irá rodar pela região metropolitana de Campinas em visitas comerciais.

P

“Para a CPFL Energia, a ampliação da parceria com a Bosch, empresa com forte atuação na indústria automotiva, é de suma importância para estimularmos o desenvolvimento deste mercado no País. Este acordo, além de contribuir para avançarmos nos estudos para os diferentes tipos de uso dos veículos elétricos no País, permitirá  a disseminação do conhecimento da tecnologia de veículos elétricos entre os agentes do mercado”, afirma o diretor de Estratégia e Inovação da CPFL Energia, Rafael Lazzaretti.

Brasil desperdiça 30% dos gastos com energia elétrica para iluminar o céu, revela estudo

January 03, 2017

Um estudo desenvolvido pelo Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA) revela como a poluição luminosa compromete as pesquisas científicas. Além disso, a falta de planejamento para a instalação de luzes artificiais representa um desperdício de 30% nos gastos com energia elétrica e afeta a saúde das pessoas.

“A poluição luminosa causa vários impactos na sociedade, no meio ambiente, nas pesquisas em astronomia e nos seres humanos, aumentando o risco, inclusive, de câncer, devido à supressão da luz noturna sobre a glândula pineal, o que reduz a produção do hormônio melatonina”, afirma o coordenador do Observatório do Pico dos Dias do LNA, Saulo Gargaglioni, acrescentando que a melatonina é sintetizada exclusivamente no escuro. “A produção e secreção desse hormônio é inversamente proporcional às exposições ambientais de luz e sua redução tem sido altamente correlacionada com o aumento do risco de câncer de mama. Recentemente, um artigo publicado na revista Nature alerta que o excesso de luz enfraquece os músculos e ossos de roedores.”

Energia solar se torna a mais barata, desbancando os combustíveis fósseis

January 06, 2017

O ano de 2016 trouxe uma novidade importante para o setor de energia: a matriz solar passou a ser a fonte de energia mais barata, superando os combustíveis fósseis. A constatação é de um estudo do Fórum Econômico Mundial, que pesquisou o tema em 30 países, incluindo o Brasil.

Enquanto o custo da energia, o chamado LCOE (Custo Nivelado de Energia), do carvão gira em torno de US$ 100 o megawatt/hora, o preço da energia solar caiu de US$ 600, como era há uma década, para US$ 300 há cinco anos e atualmente já está próximo ou abaixo de US$ 100. O LCOE da energia eólica já chegou em alguns lugares próximo a US$ 50. A análise não leva em conta o custo da energia gerada pelo petróleo.

Painéis solares residenciais associam vantagens econômicas à sustentabilidade

January 16, 2017

A instalação de painéis residenciais de captação de energia solar é uma opção de investimento que permite economia na conta de luz e independência das distribuidoras de eletricidade. O sistema fica em R$ 16 mil, segundo a coordenadora da campanha de Energias Renováveis da organização não governamental (ONG) Greenpeace, Bárbara Rubim.

“É um valor alto, se a pessoa tiver que fazer esse investimento à vista. Mas é um investimento que vai se pagar em uma média de sete anos e gerar retorno para a pessoa. É um investimento que você está fazendo no seu imóvel”, ressalta Bárbara.

Brasil ultrapassa 7 mil conexões de micro e minigeração de energia

January 26, 2017

Em quatro anos, o número de conexões de micro e minigeração de energia superou 7 mil instalações. O número cresceu de 4 conexões registradas em dezembro de 2012 para 7.658 ligações registradas na ANEEL em 25 janeiro de 2017, o que representa uma potência instalada de 75.071,09 kW – suficiente para abastecer 60 mil residências.

A fonte mais utilizada pelos consumidores-geradores é a solar, com 7.568 adesões, seguida da eólica com 45 instalações. Confira tabela com o total por fonte.  O estado com o maior número de micro e minigeradores é Minas Gerais (1.644 conexões), seguido de São Paulo (1.370) e Rio Grande do Sul (782). Veja aqui.

Eólica poderá responder por 20% da geração no mundo até 2030

February 08, 2017

A energia eólica poderá responder por cerca de 20% e toda a eletricidade gerada no mundo até 2030. Essa é a conclusão do Global Wind Energy Council (GWEC), que divulgou seu relatório bienal sobre o futuro da energia eólica no mundo. Intitulado de “Global Wind Energy Outlook 2016”, o documento traça cenários em que a fonte eólica poderia fornecer um quinto de toda geração de eletricidade daqui a cerca de 15 anos.

No cenário de 2030, estimulou o GWEC, a fonte eólica poderia chegar a 2.110 GW de capacidade instalada. Esse volume representaria atração de investimentos da ordem de 200 bilhões de euros. A estimativa é de que criaria 2,4 milhões de novos empregos e reduziria as emissões de mais de 3,3 bilhões de toneladas ao ano.

Eficiência energética é tema de cursos gratuitos

February 14, 2017

O Ministério do Meio Ambiente (MMA), em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), vai oferecer ao longo do ano, em vários estados brasileiros, treinamentos em medição e verificação, com o objetivo de capacitar profissionais na área de eficiência energética. Os interessados devem participar de processo seletivo, mediante envio de inscrição, de acordo com o edital.

Os temas do curso são: Certificação Internacional de Profissional em Medição e Verificação CMVP (Curso CMVP), com 30 horas (incluindo o exame de certificação de 4h), e Guia de Medição e Verificação do Programa de Eficiência Energética (PEE) da Aneel (Curso Guia M&V), com 24 horas (distribuídas em três dias consecutivos).

Porto Alegre firma parceria com BNDES para PPP de iluminação pública

February 22, 2017

A Prefeitura de Porto Alegre formalizou nesta terça-feira, 21, o acordo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a estruturação de projeto de Parceria Público Privada (PPP)na área de iluminação pública. O ato foi realizado durante audiência no Salão Nobre do Paço Municipal. A capital gaúcha foi uma das primeiras do Brasil a manifestar interesse no programa lançado pelo BNDES voltado para a qualificação dos serviços públicos municipais, por meio de cooperação entre governos e empresas.

Fortaleza inaugura primeira Escola de Tempo Integral a funcionar com energia solar

March 03, 2017

A Prefeitura de Fortaleza inaugura, na próxima sexta-feira (10/03) a Escola de Tempo Integral Professor Alexandre Rodrigues de Albuquerque, localizada no bairro do Siqueira, que é a primeira instituição pública de ensino do Ceará a funcionar com energia solar. A escola conta com 10 placas fotovoltaicas para produção da sua própria energia, estimada em 4.500 kWh/ano, gerando uma economia de cerca de R$ 2 mil/ano. A unidade já iniciou as atividades escolares, atendendo cerca de 500 alunos, do 6º ao 9º ano, residentes nos bairros Canindezinho, Parque São Vicente e Siqueira.

Usina solar gera energia para comunidade indígena de Roraima

March 14, 2017

A comunidade indígena Darora, localizada no Baixo São Marcos, município de Boa Vista (RR), começou a receber energia pública limpa por meio de painéis solares, baterias e equipamentos de última geração. A iniciativa é da Prefeitura de Boa Vista e vai beneficiar cerca de 50 famílias que antes conviviam com energia elétrica por meio de geradores.

A energia será gerada por uma Usina de Geração Fotovoltaica de 30 quilowatts (Kw) de potência, com capacidade para atender toda a demanda de iluminação pública da comunidade. As sobras de energia, armazenadas pelas baterias, serão utilizadas nas duas escolas da região, incluindo a escola municipal Vovó Tereza da Silva que atende 49 alunos, e ainda abastece de forma racionada as 50 casas da comunidade.

Atlas inédito vai mostrar o potencial energético solar do Paraná

March 22, 2017

O Paraná tem um grande potencial energético solar a ser explorado. A média dos valores de irradiação e de produtividade do Estado é maior do que em 29 países da Europa e 59% superior à média da Alemanha, país com a maior capacidade instalada do mundo. Essas informações fazem parte do último levantamento, feito em 2006. Essa base de dados está passando por uma atualização e fará parte do primeiro Atlas de Energia Solar do Paraná. A previsão é que a publicação seja lançada na segunda quinzena de abril.

O Atlas Solar Paranaense trará raios X completos do potencial de cada um dos 399 municípios do Estado. Os resultados desse trabalho inédito poderão servir de base para a elaboração de políticas públicas de incentivo à ampliação do uso dessa fonte de energia renovável no Paraná por meio de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica (SFVCR).  O levantamento é uma iniciativa da Itaipu Binacional, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Aneel aprova devolução de valores cobrados a mais na conta de luz

March 28, 2017

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, nesta terça-feira (28/03), o processo de devolução dos valores cobrados a mais nas tarifas dos consumidores em 2016. Com isso, as contas de luz virão de 2% a 20% mais baratas em abril, a depender da distribuidora de energia do consumidor.

Diferentemente do apurado anteriormente pelo órgão, o valor a ser corrigido nas tarifas de eletricidade é de R$ 900 milhões, e não de R$ 1,8 bilhão. Isso se deve ao fato de que os reajustes das distribuidoras se dão em tempo diferente, ou seja, nem todas as empresas cobraram o preço extra no mesmo período.

O custo da energia proveniente da usina termelétrica de Angra 3 foi incluído nas tarifas do ano passado, sem que a energia chegasse a ser usada, uma vez que ela ainda não entrou em operação.

Segundo esclareceu a agência reguladora, as contas de luz vão ficar R$ 2 mais baratas a partir de maio, visto que esse era o valor do encargo cobrado pela energia de Angra 3. Como o órgão suspendeu essa cobrança, esse valor não entrará mais nas tarifas de energia.

Irradiação solar do Rio é equivalente à alemã, mostra Atlas do estado

April 19, 2017

Com níveis de insolação variando de 1.460 a 2.010 kWh/m² ao longo do ano, o estado do Rio de Janeiro apresenta um potencial de produção de energia elétrica por fonte solar equivalente ao Alemanha, líder mundial na instalação de sistemas fotovoltaicos e cujo nível de irradiação é de 1.700 kWh/m², em média. Os números constam do Atlas Solar do Estado do Rio de Janeiro, lançado nesta quarta-feira, 19 de abril, pelo governo fluminense com o objetivo de promover o investimento em energia solar fotovoltaica e heliotérmica, desenvolvendo a indústria fotovoltaica local.

No site www.atlasriosolar.com.br, há a possibilidade de fazer o download do Atlas e, através de um simulador, gerar dados sobre tamanho do painel fotovoltaico para um determinado empreendimento, a capacidade de geração e o prazo de retorno do investimento. A simulação está disponível para todos os municípios do estado do Rio, e é voltada para os segmentos residencial, comercial e industrial. A ideia é possibilitar uma avaliação rápida da viabilidade econômica de um investimento em energia solar.

BNDES aprova primeiro financiamento para geração de energia solar

May 15, 2017

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 529,039 milhões para implantação do Complexo Solar Pirapora, em Minas Gerais, com cinco usinas fotovoltaicas e potência instalada total de 150 megawatts (MW) e potência fotovoltaica instalada de 191 megawatts picos (MWp). O empreendimento é da EDF Energies Nouvelles, filial do grupo estatal francês Électricité de France S.A. – EDF e da Canadian Solar – CSI, fabricante de módulos solares instalada no Brasil e que fornecerá equipamentos ao projeto.

O Complexo Solar Pirapora é o primeiro projeto de geração de energia solar financiado pelo BNDES. Segundo a presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, em conformidade com seu papel de indutor do desenvolvimento econômico, em especial de projetos com externalidades positivas – no caso a ambiental – o Banco destina as melhores condições de crédito a projetos de energias renováveis.

Metrô em Brasília utiliza energia solar como fonte de energia

January 11, 2018

A Estação Guariroba, em Ceilândia, seria apenas mais uma das estações de metrô de Brasília se não fosse pelo fato dela ser a primeira a utilizar a energia solar como fonte de energia.

A estação administrada pelo Metrô-DF utiliza 578 placas voltaicas para a captação de energia solar. O sistema gera, por ano, 288 mil quilowatts/hora, o suficiente para abastecer o consumo local e gerar excedentes para outras partes do sistema metroviário brasiliense.

A Estação Solar Guariroba é um projeto piloto do Governo de Brasília para gerar energia limpa e sustentável. Em entrevista ao Correio Braziliense, o presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, disse que a previsão é de que a companhia consiga poupar aproximadamente R$ 150 mil ao ano com o novo sistema.

“A economia financeira vai ser investida na expansão do próprio sistema, buscando sempre implementar em mais estações a tecnologia. Isso é crucial para a mobilidade de Brasília, que não deve ser pensada apenas com a intenção de transportar, mas de ser sustentável”, declarou o presidente.

A estação é a primeira com captação de energia solar e totalmente sustentável da América Latina e a quarta estação solar do mundo. As outras estações estão instaladas em Milão (Itália), Nova Iorque (Estados Unidos) e Nova Deli (Índia).

E os planos para o desenvolvimento sustentável parecem não parar por aqui. Já estão previstos outros três projetos que utilizam a energia solar como fonte principal. São elas duas paradas de passageiros, em Samambaia Sul e Feira, e uma Usina Solar no Centro Operacional do Metrô. A expectativa é que elas consigam atender aproximadamente um terço da demanda energética da companhia, gerando uma economia superior a R$ 1 milhão ao mês na conta de energia elétrica.

Sesc implanta usina solar em hotel no Pantanal (MT)

December 19, 2017

O SESC Pantanal, no Mato Grosso, está aderindo ao uso de energia renovável. A primeira usina solar do Pantanal foi instalada em um hotel, em comemoração aos 20 anos do empreendimento. A expectativa é que ela consiga gerar uma economia em torno de 60%, além de contribuir com meio ambiente.

A usina está abrigada no Recanto do Pescador numa área de 28.650 metros quadrados, localizada em Poconé. Planejado em plataforma suspensa ante o regime das cheias na região, o projeto de sistema de geração fotovoltaica consiste em um importante marco de sustentabilidade. A usina abastecerá um dos principais pontos turísticos mato-grossenses, o Hotel Sesc Porto Cercado. Christiane Caetano Rodrigues, supervisora do SESC Pantanal reforça a importância da sustentabilidade e da preocupação com meio ambiente

Usina em Minas Gerais gera energia elétrica com fermentação de resíduos

November 14, 2017

O aterro sanitário de Sabará, município da região metropolitana de Belo Horizonte, ganhou um forte aliado para aprimorar a gestão de resíduos sólidos da região. Foi inaugurado uma nova usina de biogás dentro do próprio aterro, que utilizará os resíduos para gerar energia elétrica para as cidades mineiras.

A usina foi planejada e construída pela empresa italiana Asja em parceria com a Macaúbas Meio Ambiente S.A., pertencente à Vital Engenharia Ambiental, e contou com um investimento de mais de R$ 20 milhões.

Ela atua em uma potência de 5,7 megawatts (MW) e utiliza o biogás produzido na fermentação anaeróbica dos resíduos do aterro como combustível para gerar energia. Os motores são capazes de gerar 46 mil MW-h de energia elétrica por ano, que são capazes de abastecer uma cidade de 50 mil habitantes, por exemplo.

A energia elétrica gerada é encaminhada para a Cemig – Companhia Energética de Minas Gerais, que é responsável pela distribuição para a cidades da região.

A Asja possui uma estimativa de que, com a energia gerada pelo próprio aterro, a unidade evitará a emissão de 380 mil toneladas de CO² no meio ambiente.

Please reload